Sobre a definição dos verbos (7)

Tipologia, essa é a palavra-chave desta última postagem sobre verbos. Tipologia linguística quer dizer algo simples assim: existem tipos de línguas. Ou seja, há línguas que usam mais um determinado recurso, outras usam mais outros recursos e por aí vai. Como estima-se que hoje haja cerca de 5000 línguas no mundo, a tipificação das línguas é um trabalho bastante interessante e que ficou de certa forma esquecido em função de uma postura anti-comparativista adotada dos anos ‘60 pra cá; citemos exemplos:

(1) nas línguas brasileira, portuguesa, inglesa, japonesa e grega a variação tonal não gera mudança de significado para um supostamente mesmo fonema; em mandarin, variações tonais podem gerar mudança de significado. Isso quer dizer que as primeiras línguas são tipologicamente diferentes, do ponto de vista tonal, da última citada.

(2) a língua brasileira usa menor variação de verbos do que usa o inglês. Assim, quando se traduz do inglês para o brasileiro, usa-se um número maior de advérbios, ou outras formas explicativas, porque os verbos em inglês são mais cheios, mais informativos, mais específicos do que os verbos em brasileiro.  Ao verbo inglês “to walk” [andar], as seguintes formas verbais inglesas são associadas:

stroll, saunter, amble, trudge, plod, dawdle, hike, tramp, tromp, slog, stomp, trek, march, stride, sashay, glide, troop, patrol, wander, ramble, tread, prowl, promenade, roam, traipse; stretch one’s legs, mosey, hoof it; perambulate, escort, guide, show, see, usher, take, chaperone, steer, shepherd.

Dentre esses verbos que têm a ver com andar, a forma to sashay quer dizer algo como “walk in an ostentatious yet casual manner, typically with exaggerated movements of the hips and shoulders”  (andar de forma ostensiva, mas mesmo assim de jeito informal, com movimentos exagerados das pernas e dos ombros) e to mosey “walk or move in a leisurely manner “ (andar ou mover-se de um jeito informal).

Assim, pelo critério variação verbal, inglês e brasileiro são tipologicamente diferentes. Quanto maiores forem as diferenças tipológicas, mais complexo é o processo de tradução e interpretação.

Pra fechar, em atswgewi (língua nativa norte-americana), o verbo ca-st’qa’ic’it quer dizer “por causa do vento soprando sobre uma substância escorregadia, essa moveu-se para um lugar líquido”. Louco, né? Sobre essa língua, e mais uma vez, cito os trabalhos de Leonard Talmy.

Anúncios

Sobre Pedro Perini-Santos

linguista.
Esse post foi publicado em Artigos sobre linguística e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Sobre a definição dos verbos (7)

  1. Sig FF disse:

    A classificação facilita a compreensão, fica mais claro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s